Cai Perfurações

Perfuração de poços tubulares

 “Obras de engenharia e geologia, que dão acesso aos mananciais subterrâneos”.

Avaliar projeto construtivo conforme normas técnicas da ABNT NBR 12212 e 12244;

PROTEÇÃO SANITÁRIA SELO SANITÁRIO

 TIPOS DE POÇOS - De forma genérica, não há um tipo de poço melhor do que o outro, existem regiões com melhor potencial e qualidade de água do que outras.
Há locais em que o projeto prevê captar apenas a água do sedimento, outros só da rocha e há ainda o projeto de poço misto. A decisão do projeto, inclusive a profundidade, depende da análise da região e das informações mapeadas em experiências anteriores.

Sedimento – é construído em regiões cujo subsolo é composto de rochas sedimentares com porções permeáveis que favorecem a formação de um aqüífero. Neste poço são instalados filtros na altura dos arenitos produtores para captar a água que flui na formação. O trecho próximo à superfície é vedado para impedir a captação do lençol freático, reduzindo os riscos de contaminação.

Rocha – é o poço tubular construído para captar a água que flui pelas fraturas ou fendas existentes nas rochas cristalinas. Para chegar na rocha, a perfuração atravessa a parte de sedimento, que é vedada, para impedir infiltrações e eventuais contaminações.

Misto – é o poço tubular profundo construído para captar água nas 2 formações: no sedimento e na rocha. Neste poço a perfuração ultrapassa o sedimento e continua até encontrar na rocha, as fraturas condutoras de água. A parte sedimentar não é vedada, é revestida com tubos e filtros para o aproveitamento da água proveniente de arenitos favoráveis.
MANUTENÇÃO DE POÇOS TUBULARES – Um poço produtivo é um patrimônio de valor incalculável. Mantê-lo limpo, com equipamentos bem cuidados é a única forma de preservar sua capacidade produtiva.

Em cada região do país, a água subterrânea incorpora as características químicas das rochas que ela atravessa até chegar ao poço. Na região Sul o subsolo é rico em ferro, elemento que dissolvido na água e em contato com o oxigênio do ar, forma compostos ferrosos similares à ferrugem. Estes depósitos se acumulam nas paredes internas do poço e obstruem as entradas de água. Se não forem removidos a tempo, podem interromper o fluxo de água, inviabilizando o poço. Esta situação ocorre independente do tipo de revestimento usado no poço, seja em aço (galvanizado, carbono ou inox) ou em PVC geomecânico.

Limpeza e Manutenção - A limpeza de um poço tubular profundo deve privilegiar a preservação de sua vida útil. A combinação de um tratamento químico, ações mecânicas e metodologia adequados  é eficiente para a limpeza da maioria dos poços. A escolha da melhor combinação é orientada pelos seguintes fatores: a composição química da água, o tipo e estado de conservação do poço e sua importância estratégica para o abastecimento local.
Tratamentos químicos – os mais utilizados e que oferecem alto grau de segurança e eficiência são os agentes desincrustantes como polifosfatos cristalinos, ácidos cítricos e ácidos orgânicos e os desinfetantes como hipocloritos de cálcio ou sódio e dióxido de hidrogênio.
 Ações Mecânicas – as principais ações são escovamento, jateamento e pistoneamento das seções filtrantes,  turbilhonamento e bombeamento com ar comprimido.
Metodologia – o processo de limpeza prevê etapas seqüenciais estabelecidas para cada situação, que são realizadas por operadores experientes e ferramental adequado para  garantir o resultado da operação.
Desinfecção Final – é uma das mais importantes operações de limpeza – é realizada no final do processo para desinfetar a água e todos os materiais instalados no poço. Consiste na aplicação de um agente desinfetante, que em curto período de tempo restabelece o controle bacteriológico.